segunda-feira, 7 de janeiro de 2013

"Que nasçam mil folhas, esperando o amanhecer.
Que nasçam mil flores, aguardando-me.
Que se voltem todos contra mim.
Que renasça aquilo que já foi escrito.
Que apodreça  maça mais nobre, pois nunca regenerei o dom que fora me dado;
O ar no qual respiro, o estímulo que me rege.
Destruam tudo! mas por favor...
Imploro descaradamente que não nos deixe à mercê.
Mendigando, conflitando... Em busca continuamente,
e mais uma vez,
da palavra."




Nenhum comentário:

Postar um comentário